emocional

Alguma vez teve aquela sensação de quando abre o frigorífico e come tudo o que aparece à frente?

Pois é, a isso chama-se fome emocional, uma fome provocada por factores psicológicos.

 Qual
a Diferença entre fome emocional e fisiológica?
De uma forma muito simples é a diferença entre fome e a
vontade de comer…
Fome Fisiológica é uma necessidade do nosso organismo é
quando temos a sensação de:
  •         dor no estômago,
  •       dor de cabeça;
  •         fraqueza;
  •         ocorre gradualmente
  •      consegue esperar um pouco mais até comer;
  •      paramos
    de comer quando estamos saciados;
A fome Emocional é provocada por factores
psicológicos.
  • É um desejo ou uma necessidade de comer;
  • difícil
    de controlar
  •  fome específica (por exemplo, aquele
    desejo de comer chocolates ou bolos);
  •  uma vontade de comer urgente;
  •  não se sente satisfeito, mesmo com o estômago
    cheio;
  •  normalmente ingere alimentos calóricos, ricos em
    açúcar e/ou gordura
  • é como um refúgio, um calmante, um sedativo, um
    consolo, um conforto, uma compensação 
A fome emocional pode provocar ciclos viciosos:
  •       situações de depressão
  •       perturbações de ansiedade
  •       problemas de baixa auto-estima
  •      culpa, frustração, insatisfação corporal, entre
    outros.


– Perceber o que desencadeia a sua fome emocional?
  •          Stress
  •       Ansiedade
  •       Tristeza
– Quando tivermos essa sensação procurar desviar pensamentos
da comida. 
Como?
  •           telefonar a uma amiga
  •       ler um livro
  •          dançar
  •       fazer
    exercício …
     
– Evitar ir às compras quando se sente mais irritado,
stressado ou deprimido
– Evitar fazer dietas restritivas, conduzem a défices
calóricos e depois desencadeiam um maior desejo por alimentos calóricos;
– Procurar dormir o suficiente, pois o cansaço e a fadiga
podem levar-nos  a comermos mais para
obtermos energia;
– Praticar exercício físico regularmente e desfrutar dos
seus benefícios físicos e psicológicos;
– Praticar exercícios de relaxamento. A meditação e o yoga
podem ajudar a gerir melhor o stress e as preocupações da vida diária;
Criar uma rotina alimentar, definir horários e
evitar comer fora das horas;
Não comprar aqueles alimentos típicos das crises de
fome emocional, b
olachas, batatas fritas, chocolates, gomas, rebuçados …
Se necessário, faça uma refeição de pré-jantar, coma um prato de sopa sem batata, uma salada ou um prato de
vegetais, pq são ricos em fibra, saciam;
Alimentos Ricos em:
  •         Vitamina B6, como a banana, o abacate, a
    semente de girassol;
  •       Magnésio, presente em folhas verdes e
    legumes;
  •       Triptofano, encontrado nas castanhas,
    nozes e amêndoas, cacau …

Outros alimentos:
– Chocolate 80% Cacau- aumentam os níveis de serotonina no
cérebro , desde que seja consumido sem exageros;
– Maçã- É rica em pectina, fibra que dá saciedade e também é
rica em crómio, mineral que diminui o apetite e a vontade de comer doces;
– Nozes e Castanhas- São ricas em antioxidantes e gorduras
boas além de favorecer a libertação de hormonas que contribuem com a saciedade;
– Queijo Branco/fresco: 
além de ser uma proteína que dá saciedade, é rico em triptofano,
aminoácido essencial para a síntese de serotonina;
– Proteínas: Contribuem com a sensação de saciedade,
demorando mais para sentir fome;
– Linhaça- Rica em fibras e ácidos gordos essenciais,
aumenta a saciedade:
– Ovos especialmente no pequeno almoço, já existem  Estudos 
que dizem que ovos ao Pequeno Almoço sacia durante 24 horas;

  •         Comer primeiro uma salada
  •        Comer devagar e mastigar bem
  •         Beber chá ou água em vez de comer logo
  •         alimentos ricos em fibras e água, saladas,
    pepino, maçã, melancia….
  •         Doses individuais de snack

Trocar:


– farinhas brancas por integrais
– Alimentos com alto índice glicêmico (acima de 70) a por
alimentos com baixo índice glicêmico, até 50,
  • 5- HTP, Triptofano,  aminoácido que ajuda na síntese de  serotonina é uma substância que desempenha
    importante papel no controle do comportamento alimentar.
Por exemplo :  A gula que aparece na TPM (tensão pré-menstrual)
também está relacionada à queda da serotonina.
  • Crómio: mineral que regula
    os açúcares
  • ASWAGHANDA: Planta
    Adaptógena anti-stress, para alterações de humor e equilibra as hormonas da
    tiroide.
  • Qhitosano, fibra que existe
    na casca dos crustáceos, reduz absorção de gordura;
  • Glucomanano, é uma fibra
    solúvel, derivada da raiz da planta Konjac e promove saciedade;
Muito importando acompanhamento nas áreas de nutrição e psicologia.
O Segredo é sem dúvida ouvir o seu organismo, e entender os sinais
que ele nos dá
.
Saber Comer & Ser Feliz 
Ana Pinto